E soa o alarme

34 Flares Twitter 1 Facebook 33 Google+ 0 Email -- 34 Flares ×

Estava conversando esses dias com algumas amigas, e falávamos, para variar um pouco, do assunto feminino mais recorrente: relacionamentos.

Uma delas estava passando pela preocupante síndrome da cegueira passional. Aquela em que o cara só falta mandar por escrito um atestado de “não fique comigo, pelo amor de Deus, que eu sou problema” e você ainda está lá, pensando que agora ele melhorou, ele me disse que vai mudar, ele está arrependido, ele não é assim, só está um pouco confuso… E por aí vai.alarme

É engraçado quando se está fora da situação. Dá vontade de chacoalhar a pessoa para ver se enxerga direito, se reage ao que está acontecendo. Mas ao mesmo tempo, quem nunca fez isso? Quem nunca queria muito que todos os sinais enviados pela pessoa que você gosta fossem mentira? Quem nunca se sentiu uma trouxa ao ver que a pessoa não mudou e você acabou sofrendo duplamente? Quem nunca deu uma segunda, terceira, milésima chance só porque queria muito que a auto piedade da pessoa fosse verdade?

A questão que eu vejo é que as pessoas não são tão misteriosas assim. Na verdade, elas são até bem transparentes. O problema é que o envolvimento, a paixão, e muitas vezes, a vontade de estar com aquele alguém, tampam nossos olhos. E a gente começa a enxergar somente o que quer. E mesmo sem que o outro peça, a gente desculpa tudo que ele faz.

Mas é exatamente por sermos tão transparentes é que devemos estar mais atentos aos sinais. No início de qualquer relacionamento já podemos definir as atitudes de uma pessoa perante a vida e consequentemente com você. Por exemplo, você começa a sair com alguém e a pessoa já vive te dando desculpas por nada, some sem nenhuma explicação, fala coisas que não deveria, faz muito mea-culpa para demonstrar humildade, faz coisas que ninguém entende, te deixa sempre muito insegura… Não sei… Eu já entenderia isso como um alarme que começa a soar.

E uma das coisas que eu aprendi na vida, com essas luzes vermelhas que acendem e sirenes que tocam quando você começa a se envolver com alguém, é que a analogia do alarme funciona perfeitamente para vida real.

Quando você está em um prédio e soa o alarme de incêndio, você não fica lá esperando para ver se você realmente vai se queimar. E fica pensando: “se eu me queimar só um pouquinho, está tudo bem, está tranquilo.” Se te avisam que vai pegar fogo, você sai correndo imediatamente para o lugar mais longe possível. Porque nenhum fogo queima só um pouquinho ou só até tal parte. E porque se você fica para ver o que acontece, a queimadura pode ser irreversível. E você talvez saia tão machucada que demore muito para se recuperar ou talvez isso nunca aconteça.

Mas sabendo disso, é preciso estar atento aos alarmes, aos sinais que as pessoas mandam. E é preciso, também, estar muito seguro daquilo que não quero para minha vida e aquilo pelo qual não mereço passar. Se não, mesmo que o alarme toque, todas as luzes vermelhas se acendam e o corpo de bombeiros chegue para nos resgatar, estaremos ainda sim parados no mesmo lugar achando que por algum motivo divino inexplicável o fogo não vai nos atingir.

3 ideias sobre “E soa o alarme

  1. Show! Lembro que uma vez um amigo me contou que estava saindo com a ex e do papinho mole dela, ai eu falei pra ele.. Seja firme, você já sabe por que você não esta com ela, lembra disso toda vez que ela aparecer na sua vida. Muitas vezes é assim mesmo, já sabemos porque não deu certo, mas ainda assim queremos insistir no erro!. Essa comparação do incêndio foi muito boa.

  2. Engraçado que sempre sabemos o que é um sinal vermelho, mas meio que a gente se engana mesmo, né? Ou tenta se enganar. O lance, como você disse, é estar segura mesmo….

  3. Mulheres…

    Nem toda fumaça é fogo;
    Nem todo alarme é de emergência;
    Nem toda emergência é verdadeira!!!

    Viva o momento!!!

    Fica bem, fica com Deus!!!

Os comentários estão fechados.