Amar é um verbo

54 Flares Twitter 1 Facebook 53 Google+ 0 Email -- 54 Flares ×

                amorO amor está entre as coisas mais difíceis de serem conquistadas na vida. E creio que isso só tem piorado com o passar dos anos. Não que a gente tenha desaprendido a amar. Mas acho que simplesmente nos esquecemos de que o amor é uma decisão e não um sentimento.

Antigamente as mulheres não escolhiam com quem casariam, e os homens se casavam muitas vezes por conveniência. Poderiam ser eternamente frustrados ao lado um do outro, como deveria acontecer com a maioria. Mas alguns simplesmente decidiam amar aqueles que estavam ao seu lado e isso transformava tudo. Porque com o tempo o amor chegava.

Hoje em dia temos a liberdade de escolher a pessoa com quem dividiremos nossas vidas. E isso é incrível! Mas acho que perdemos de vista a escolha que fazemos. Queremos sentir no peito sempre aquele ardor de quando tudo começou. Queremos as borboletas no estômago para sempre. Queremos que a certeza do primeiro “sim, eu aceito”, dure para a vida toda. Mas esquecemos de que para que isso aconteça depende muito mais da vontade e da luta que do sentimento.

Amar é um verbo e deve ser conjugado diariamente. Não se reduz a sentir algo por alguém, mas a uma disposição verdadeira do coração em lutar para manter a decisão de querer alguém.

Aí a pessoa fala: “quero terminar porque o amor acabou.” Será? Foi ele mesmo que acabou? Ou acabou a disposição de lutar e a vontade de estar junto? Claro que ninguém vai sair por ai terminando namoro dizendo que acabou a vontade de lutar para manter a decisão que tomou. Isso é implícito no ato de terminar.

Mas a reflexão não é exatamente sobre ser sincero ao terminar. Mas ser sincero no início e principalmente durante o relacionamento. E ser sincero não só com o outro, mas especialmente com você mesmo.

Poderia dizer que a maioria dos relacionamentos de hoje terminam não porque “acabou o amor”, mas porque simplesmente se esquecem de que esse amor é fruto de uma ação de amar, de uma escolha diária e de uma disposição do coração em querer aquela pessoa. Mesmo quando o sentimento não ajuda, ou não aparece, a vontade tem que nos mover a lutar pelo que decidimos conscientemente.

Será que todos os dias você vai sentir a mesma respiração ofegante ao lado dessa pessoa? Será que sempre você achará essa pessoa tão interessante quanto a primeira vez em que a viu? A vida muda, as pessoas mudam, o sentimento muda. Não só mudam como evoluem. E se sua decisão pela pessoa não acompanhar esse processo, realmente vai “acabar o amor”. E o que vai acontecer é que acabarão em você os motivos que faziam decidir por alguém. E dizer para o coração continuar amando aquela pessoa vai parecer quase um crime.

Ninguém é obrigado a estar em um relacionamento somente porque escolheu aquela pessoa uma vez. Mas é precisamente por isso que é importante que a escolha seja constante. Porque quando os motivos pelos quais você escolheu aquela pessoa desapareçam ou simplesmente não façam mais sentido dentro do contexto atual da sua vida, você poderá pensar se ainda quer lutar ou não. E vai saber que não está desistindo de um relacionamento, às vezes bom, real e sólido somente porque o coração “está sentindo diferente” ou “não está sentindo mais o amor”.

E o mesmo funciona para relacionamentos acabados. Sempre pensamos: “o que fazer com o amor que eu sinto pela pessoa que me deixou?” E mais uma vez se trata de decisão. Se for por algum motivo remediável, se ainda existe a possibilidade de estarem juntos, decida e lute! Corra atrás, faça acontecer para não se arrepender depois. Mas se ao contrário, terminou porque era para terminar ou porque a pessoa te fez mal etc. Decida também! Decida por esquecer, por deixar morrer a vontade. E coloque os meios para isso. E eu posso garantir que tudo que se sentia fica para trás, e restarão somente lembranças.

Enfim, o amor é a essência da vida. É por ele que vivemos e somos. Mas ele realmente só atinge sua plenitude quando é feito de decisão. Quando é ato da vontade e não da emoção.

4 ideias sobre “Amar é um verbo

  1. Amar é um verbo. O amor, o sentimento, é um fruto do verbo amar, da ação, atitude de amar, não o contrário.
    Acho que os casais que em isso na mente tem mais chance de durarem!

  2. Amar… Verbo Intransitivo… (Carlos Drummond de Andrade)

    Se os olhares se cruzarem e neste momento,
    houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta:
    pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

    Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa …

    Se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça:
    Deus te mandou um presente divino – o amor.

    Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca
    receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem
    mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um para o outro …

    Se você conseguir, em pensamento,
    sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado …

    Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a
    outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura,
    que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida …

    Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo estando ela de pijamas velhos,
    chinelos de dedo e cabelos emaranhados …

    Se você não consegue trabalhar direito o dia todo,
    ansioso pelo encontro que está marcado para a noite …

    Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma,
    um futuro sem a pessoa ao seu lado …
    É o amor que chegou na sua vida. É uma dádiva.

    Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e,
    mesmo assim tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela …

    Se você preferir morrer, antes de ver a outra partindo …
    É o amor que chegou na sua vida !

    Por isso, preste atenção nos sinais – não deixe que as loucuras do dia-a-dia
    o deixem cego para a melhor coisa da vida:
    muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida,
    mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.
    Ou, às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses sinais,
    deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.

    Preste atenção nos sinais e não deixe que as loucuras do dia-a-dia
    o deixem cego para a melhor coisa da vida:
    O amor …

Os comentários estão fechados.