Problemas de bagagem

37 Flares Twitter 1 Facebook 36 Google+ 0 Email -- 37 Flares ×

Estava conversando com um cara e ele de repente me diz: “não quero mulher divorciada, com filhos ou com muitos namorados no currículo. Não quero mulher com bagagem.” E eu respondi mentalmente: “é por isso que você está solteiro.”

Eu adoro viajar! É um dos meus hobbies favoritos. E por isso acabei viajando nisso de ser uma pessoa com bagagem.  Então aí vão meus pensamentos:

Quem não tem bagagem não tem experiência, não tem nada a oferecer. Alguém faria uma viagem de férias sem levar nenhuma mala, mochila ou qualquer coisa para por o mínimo que você precisa? mala cheia

Claro que quanto menos bagagem melhor. Ninguém quer ficar carregando uma mala pesada por ai, ou um monte de sacolas. Mas a bagagem mostra quem você é.  Aquilo que você carrega com você. Quando você olha a mala de alguém, a forma como está ou não arrumada, e as coisas que a pessoa carrega, você descobre muito sobre quem ela é. Afinal, você leva em uma viagem o que você considera importante, essencial.

Trazendo a analogia para a vida, acredito que não devemos colocar na nossa mala os fatos e acontecimentos. Devemos levar somente o que aprendemos deles na bagagem. Senão fica pesado. É muita coisa para carregar. Não levar na bagagem aquilo que o fulano falou ou fez comigo e que me machucou e que dói muito ainda. Mas levar a lição de não entregar seu coração a qualquer um, ou de não deixar que ninguém te rebaixe ou menospreze quem você é.

Na bagagem só se leva o essencial. O resto você deixa para comprar no meio do caminho, somente se precisar. Ai sim o peso fica leva. Porque o essencial não ocupa espaço, e acaba sempre sobrando um espacinho na mala para trazer coisas novas da viagem.

Todo mundo tem um check list para arrumar a mala. Eu antes andava carregando meu quarto inteiro para passar 3 dias fora. Hoje em dia, cada vez mais minhas malas tem somente as coisas necessárias. Calcinhas, roupa de dormir, escova de dente e etc são itens essenciais. Mas depois que vc coloca tudo que é imprescindível, você analisa o espaço que sobra e coloca aquele sapato lindo, que pode ser que você não use, mas vou levar e se der eu uso.

Tem gente que anda por ai com excesso de peso na bagagem. Carrega tudo que já aconteceu e pouco se pergunta da real necessidade disso. A bagagem fica leve quando pensamos e planejamos o que levar. Quando entendemos que só o essencial é necessário na vida. O resto é dispensável, só carregamos se queremos.

De verdade, pessoas sem bagagem não me interessam. Simplesmente porque não me desafiam e ainda me deixam insegura. Porque quem não tem noção do que é essencial, pode acabar tratando como supérfluo o que seria o mais importante. E ainda por cima não tem nada para oferecer.

Eu viajei com um grupo de amigas esse ano, e em várias vezes a troca de roupas, sapatos e bijouterias não só ajudou a melhorar o visual como salvou vidas em alguns momentos. Ainda bem que tínhamos bagagem para trocar.

E é isso que funciona nos relacionamentos: compartilhar. E só podemos compartilhar se temos bagagem para isso. O famoso “procurar alguém para complementar e não completar”. Se já temos uma bagagem não precisamos que venha alguém para enchê-la e sim alguém para compartilhá-la.

Na verdade, não importa se a pessoa é solteira, divorciada, viúva, mãe ou pai solteiro. Todo mundo tem bagagem. O que importa é que tipo de bagagem você quer compartilhar. Eu tenho muito orgulho da minha. Acho que está cada vez mais leve e bem arrumada. E a sua, como que está?

6 ideias sobre “Problemas de bagagem

  1. É um babaca esse cara, será que não entende que o melhor das pessoas é a experiência que elas levam consigo? Não, ele não entende pq não deve ser maduro o suficiente. Pessoas com pré-conceitos desse tipo não enxergam um palmo a sua frente…

  2. Nossa, coitada da minha esposa se eu não tivesse bagagem! 🙂
    E adorei o “quem não tem noção do que é essencial, pode acabar tratando como supérfluo o que seria o mais importante”.

  3. Peço licença para comentar o primeiro parágrafo:

    Não interprete mal o comentário desse cara. Numa roda de homens o senso comum sobre “não quero mulher divorciada, com filhos ou com muitos namorados no currículo. Não quero mulher com bagagem” é uma opinião prevalecente – por mais que eles falem que não. Realmente, preferem mulheres “originais” (sem baby, nunca ter sido casada e sobre muitos namorados não é problema), preferem construir a encontrar construído. Esquecemos quem manda na gente é o coração. Para ser bem sincero: eu prefiro uma BOA COMPANHIA, só!!!

    *não estou entrando no mérito da experiência ou da bagagem.

    Fica bem, Fica com deus

    • É, eu sei que é o pensamento predominante e concordo com vc: nada melhor que uma boa companhia!! Mas esse é o ponto, eu acho que às vezes por alguns preconceitos se perde a chance de conhecer pessoas boas e ótimas companhias, né?
      Muito obrigada pelo comentário!! 🙂

Deixe uma resposta