Dai-me paciência

25 Flares Twitter 2 Facebook 22 Google+ 1 Email -- 25 Flares ×

Dizem que paciência é uma virtude. O que eu sei é que estou precisando muito dela no momento. Acho extremamente complicado esperar pelo momento das coisas e das pessoas. Sei que é o melhor a ser feito, mas não é o mais divertido.paciência

Esperar nunca foi meu forte. E esperar sem saber o que pode acontecer, sem cobranças, sem ansiedade beira o impossível muitas vezes. No dicionário, paciência significa “capacidade que uma pessoa tem para suportar ou tolerar algo/alguém sem se enervar”, “saber esperar algo”, “fazer coisas minuciosas” ou “perseverança para levar a cabo uma tarefa”.  Ainda encontrei, em um site, uma definição que dizia: “…a paciência está, sem dúvida, associada à calma ou à paz. Paciente é qualquer pessoa que saiba esperar e que seja capaz de levar as coisas com serenidade.” Ou seja, definitivamente isso não me descreve.

Eu sou daquele tipo de pessoa impaciente que acabou de comprar as coisas para começar a dieta e já quer ter perdido 3 kg. Daquelas que, quando o cara pergunta meu nome na balada eu penso: “ai que preguiça, ele nem sabe meu nome…”. Daquele mesmo tipo que não consegue dormir porque está tendo uma ideia ótima, e enquanto não levantar e anotar tudo, não vai conseguir relaxar. Daquele tipo que dá respostas “tolerância zero” para perguntas óbvias. E que acha que um mês, uma hora ou minuto parecem uma eternidade quando se está esperando.

Isso, acredito eu, é um dos problemas em ser intensa demais. Querer viver tudo ao máximo, sentir a fundo, ter resposta para tudo. E isso dá impaciência mesmo. Ainda que muitas vezes não se externe, ela está lá, presente e viva dentro de mim.

Nessa busca eterna pela tranquilidade interior um Padre me disse, certa vez, que devemos ser sempre como o mar agitado. Quando você olha para ele, vê ondas imensas e uma dinâmica que às vezes até assusta. Mas por mais revolto que o mar esteja, quando você mergulha nele, vai um pouco mais a fundo, você só sente paz e calmaria. Não tem barulho, não tem agitação, não tem vai e vem. É simplesmente calmo.

Isso tem me ajudado ao longo do tempo. Não importa a agitação que a vida me impõe e muitas vezes eu mesma me imponho. Tento manter sempre uns espaços de silêncio, de estar quieta. Aprendi na prática os benefícios do silêncio interior.

Mas por mais zen que eu tento ficar – e eu juro que eu tento – a “pré-ocupação” com o futuro sempre acaba me tirando do eixo. O futuro é muito desconhecido e incerto. E isso causa medo. E traz ansiedade quando a gente tenta resolver agora algo que ainda nem aconteceu, ou pelo menos prever agora quais as chances e as consequências de algo que não foi feito ainda.

E o que eu descobri nessa jornada de busca pela calma, pela tranquilidade e paz interior é que não dá para apressar as coisas e nem as pessoas. Tudo tem um tempo certo, um ciclo a ser fechado. As pessoas passam por esses ciclos constantemente. Começa algo, desenvolve e termina ou transforma. E assim começa de novo, de um novo ponto, para um outro fim. E se fecha mais um ciclo e se abre outro. Eu sou assim. Tudo é assim. Como a onda do mar, que se forma, caminha, cumpre seu ciclo e se desfaz.

A questão é que leva tempo para as coisas engrenarem. Conquistar leva tempo. Transformar leva tempo. Abrir-se leva tempo. Ser, leva muito tempo. E querer apressar isso só pode trazer impaciência mesmo. A onda é o que traz e leva todas as coisas no mar. E é assim que os nossos ciclos funcionam, nos trazem muitas experiências, amizades, amor. E nos levam as coisas que não precisamos mais para a próxima etapa.

Por isso a importância de viver no agora. O presente é a chave para todas as nossas ansiedades e impaciências. Planejar o futuro é extremamente importante. Mas preocupar-se com ele não necessariamente ajuda. Não dá para se preocupar com algo que não está ainda em nossas mãos.

Ser realmente como o mar. Calmo no seu interior independente do externo. Mas deixando que as ondas da vida façam o seu papel.

Uma ideia sobre “Dai-me paciência

  1. Tenho um papelzinho que recebi já faz 2 anos, o qual mantenho guardado na minha gaveta do escritório onde está escrito: “Deus não trabalha na ansiedade do homem! As coisas acontecem na hora certa! As coisas acontecem exatamente quando devem acontecer”

Os comentários estão fechados.