Adeus 2013, o ano azarão

31 Flares Twitter 0 Facebook 31 Google+ 0 Email -- 31 Flares ×

champagne-2Acho que essa é realmente a ideia que eu tenho de 2013. Um ano azarão. Ao longo da vida eu desenvolvi uma séria restrição aos anos ímpares. Parece bobagem eu sei, mas os anos ímpares eram sempre mais difíceis e mais dolorosos que os anos pares para mim. Então, ano passado quando eu pensei: “ixi, lá vem um ano ímpar”, eu realmente senti um frio na barriga e me preparei para o pior.

Por isso o azarão. O ano de 2013 superou minhas expectativas. Ele veio com tudo e disposto a mudar meus paradigmas. Não que tenha sido um ano cheio de novidades, mas vejo que eu é que estava diferente. E agora que ele está acabando e chegou a hora de fazer o balanço do ano, eu o vi cruzar a linha de chegada como um dos melhores anos da minha vida.

Isso, em grande parte, deve-se ao fato de que nesse ano eu finalmente entendi que minha vida é minha. E o rumo que eu dou para ela é decisão exclusiva minha. E a forma como eu vou encarar as coisas que me acontecem também só depende de mim. Isso muda toda a perspectiva de ano de sorte ou de azar.

Claro que existem muitas coisas externas que influenciam diretamente nas nossas vidas. Algumas suficientemente desafiadoras e difíceis de enfrentar. Mas se entendemos que a luta é nossa, que a vida é nossa e que a forma de encarar o problema é a gente que escolhe também, a gente para de sentir azarado e coloca as mãos-à-obra.

A vida e o tempo são presentes que recebemos. E é isso que eu gosto de pensar no Natal. A cada ano eu ganho o melhor presente de todos do menino Jesus: vida e tempo. E sempre fico pensando até o ano novo o que vou fazer com esse presente maravilhoso, e qual presente eu quero ofertar ao mundo no ano que vai começar.

E presente é assim:

Às vezes você ganha exatamente aquilo que sempre sonhou.  Outras vezes você precisa pedir o que quer ganhar e por ser caro ou difícil, vai receber aos poucos, ou em outra época do ano. Às vezes, mesmo pedindo, você não ganha. Na maioria das vezes você ganha algo que nem estava pensando em ganhar, mas que não poderia ser melhor. E às vezes você ganha coisas que não gosta, que não se identificam com você, e ai você tem várias opções: pode se irritar com quem te deu, trocar o presente, achar uma utilidade para ele, ou repassar para outra pessoa. A escolha é sua.

Eu recebi meu presente no Natal do ano passado: 365 dias cheios de possibilidades e um tempo para realizar, lutar e conquistar.

Eu pedi o que eu queria para esse ano, e me surpreendi com um ano onde eu ganhei muito mais do que aquilo que pedi. Ganhei algumas coisas que não gostei muito, mas resolvi encontrar uma utilidade para elas e outras eu, simplesmente, repassei. Decidi não me irritar com quem me dava esses presentes, provavelmente essas pessoas não me conheciam tão bem e eu não posso julgá-las por isso. Ou simplesmente não tinham muita noção da importância de um presente, que não se oferta só por convenção, mas realmente para dizer ao outro: “eu gosto de você, eu me importo com você”.

Mas também dei presentes. O ano todo. Alguns eu sei que acertei em cheio, e é gratificante fazer os outros felizes pelos presentes que você dá. Outros talvez não tenham gostado e talvez se eu tivesse me esforçado mais, se eu tivesse demonstrado mais a importância da pessoa para mim, o presente seria mais significativo.

Mas novamente ganhamos presente. Em nossas mãos agora um ano novinho, cheio de novas possibilidades. E qual presente queremos receber? Quais presentes ofertaremos? Chega a hora de fazer nossa lista de metas e desejos. Mas o mais importante é nunca perdemos a consciência de que nosso maior presente já nos foi dado: vida e tempo. Agora só devemos decidir como o gastaremos ao longo do ano que vem.Retrospectiva-2013-300x300

Esse ano realmente foi azarão. Tinha tudo para ser igual aos outros. Mas não. Foi completo e intenso. Difícil na medida certa, feliz em quase todos os momentos, cheio de novas amizades, novas perspectivas e surpreendente. O ano 2014 para superá-lo terá que ser sensacional. Mas isso, sei que depende de nós, de nossas escolhas e dos presentes que receberemos e ofertaremos. E parafraseando Martha Medeiros: já que o próximo ano não deve ter nada de muito diferente, que em 2014 a novidade sejamos nós!

FELIZ 2014!!!!

4 ideias sobre “Adeus 2013, o ano azarão

  1. Kareee!!! Q lindo post pra fechar o ano!!!! Me ajudou muito, sabia? A refletir, a repensar e a ser grata pelo q de bom aconteceu… Obrigada por compartilhar conosco pensamentos tao sublimes…
    Bjao

Deixe uma resposta