Ah! O amor…

41 Flares Twitter 1 Facebook 40 Google+ 0 Email -- 41 Flares ×

versos_de_amorDizem por aí que eu sou uma eterna esperançosa. Apesar de esse comentário ter, às vezes, intenção pejorativa, eu gosto de ser assim. Na verdade, eu acho que dá menos trabalho acreditar. Quando você crê em algo, não precisa de grandes explicações e comprovações científicas. Eu creio e pronto. Mas para não acreditar geralmente se necessita comprovação. Tem que estar munido de argumentos e teses.

Eu estou dizendo isso para poder afirmar sem medo que eu acredito no amor. De verdade! Acredito que ele pode transformar tudo e que faz qualquer pessoa melhor. Sou daquelas que quando vejo uma pessoa de mal com a vida sem motivo aparente, penso: “coitada, deve ser falta de amor!”

Não sei se isso faz de mim uma pessoa ingênua. Mas tenho certeza que faz de mim uma pessoa melhor, menos amarga e mais consciente. Claro que aqui eu falo de amor em geral. Amor de família, de amigos, de namorado(a), de esposo… Toda forma de amor. Nascemos para isso: amar e ser amados.

Mas quando reduzimos ao amor de um casal, não acho que seja menos verdade. Somente acho que atualmente ele é muito mal entendido, e às vezes confundido com paixão, empolgação, frio na barriga. Que é claro que estão presentes no amor, mas são apenas mais uma forma de se senti-lo.

E isso me fez pensar muito esses dias. Eu já tive uma série de desventuras nessa área da vida. Talvez nem seja uma pessoa de sucesso para estar falando do assunto. Mas acho engraçado quando as pessoas me perguntam com espanto: “você quer se apaixonar mesmo depois de tudo que já passou? Você se casaria de novo mesmo depois de tudo que te aconteceu?” Sim, claro! O amor continua sendo amor, mesmo quando se tem experiências difíceis. Ele continua sendo essencial, continua sendo nosso maior desejo.Dor-de-barriga

Quando eu me alimento de algo que faz mal ao meu estômago, eu posso passar vários dias sofrendo de dor de barriga, mas eu não desisto de comer. Eu troco de comida e começo a ser mais cautelosa com aquilo que irei comer. Fico mais atenta e vejo que é cada vez mais fácil perceber se uma comida vai me cair mal ou não. Você passa a analisar antes. Olha para a comida e vê se não tem nada podre. Depois sente o cheiro, experimenta só um pedacinho e pronto. Você consegue definir se está estragado ou não. E algumas vezes a comida estará ótima, mas é seu estômago que não vai conseguir digeri-la. E nessas vezes não tem o que fazer. Vai dar dor de barriga mesmo, você vai tratar e se curar com o tempo. Mas garanto que mesmo assim não vai desistir de comer. Porque comer é o que te faz forte. É o que te faz aguentar o dia. É o que seu corpo precisa para se sustentar. É essencial.

Assim também o amor. É essência. É o que nos faz aguentar as dificuldades. É o que dá força para continuar. Se um não deu certo, talvez meu coração não estivesse preparado para aquele tipo de amor. Ou aquele amor, simplesmente, estava estragado e ia me fazer mal de qualquer jeito. Mas isso não impede de que eu encontre um amor perfeito para o meu coração e para minha vida. Mas para isso tenho que manter meu coração saudável para receber esse amor.

E quando a gente cuida do nosso coração, ele aprende a digerir sozinho as coisas que acontecem. E se fortalece a ponto de continuar acreditando, mesmo quando tudo mostrar o contrário. E para isso acontecer, a gente precisa parar de se colocar em situações de risco. Precisa aprender a analisar antes para não machucar o coração à toa.

Precisa aprender que entregar o coração a alguém é um presente muito importante. É o maior dom que você pode oferecer ao outro. Para isso é preciso ter um coração inteiro. Bem cuidado. Não dá para entregar migalhas nem pedaços de um coração sofrido.

Mas o melhor disso tudo é que ele se regenera incrivelmente. Ele não fica machucado para sempre. Só depende de que a gente queira isso. Depende do nosso esforço em curá-lo.

Por essas e outras que eu continuo sempre acreditando no amor. Porque as pessoas, algumas vezes, me decepcionam. Mas ele não. Ele sempre completa meus dias e me faz ver as coisas por outras perspectivas. E como disse, mais ou menos, um episódio do “how I met your mother”, quando se está solteiro tudo que você procura é um final feliz, mas apenas uma das suas histórias acaba dessa forma. As outras, geralmente, acabam com alguém se machucando.

Não há grande novidade nisso. Para encontrar o seu final feliz, seu coração tem que estar preparado para várias histórias não tão felizes assim. E continuar acreditando mantém o coração aberto para todas as experiências e aprendizado que essa estrada ainda pode trazer.

Uma ideia sobre “Ah! O amor…

Deixe uma resposta