Demais para mim

59 Flares Twitter 1 Facebook 58 Google+ 0 Email -- 59 Flares ×

fuga
Alguns dias atrás, uma amiga me falou que eu estava sozinha porque eu era exigente. Depois de fazer aquela cara de “por favor não me venha com essa”, eu perguntei porque exatamente ela achava isso. Então ela disse: “Poxa, você fala um monte de línguas, já viajou para vários lugares, conhece muita gente e não para quieta nunca.”

Eu por um segundo pensei se poderia ser verdade mesmo. Mas no segundo seguinte eu pensei: Espera aí! Se o que eu sou ou faço é um impedimento para algum homem estar comigo, o problema é dele e não meu.

Vejo que cada vez fica mais difícil de encontrar pessoas para caminhar lado a lado. Cansei de ouvir o famoso “você assusta”. Por quê? Realmente gostaria de entender. Me recuso a acreditar que estamos tão medrosos assim. Será mesmo que ter alguém diferente diante de você, com novas histórias, pontos de vistas e experiências seja um fator de medo e não de curiosidade e interesse?

Acredito que todos nós queremos encontrar alguém para somar. Não alguém superior, a quem eu admire e idolatre. E nem alguém submisso que atenda todos as minhas demandas e me ame cegamente. Queremos alguém que possa, apesar de qualquer diferença, caminhar junto. E ter isso ou aquilo, ser isso ou aquilo, não deveria ser um fator de medo ou de afastamento.

Quando que a gente parou de se interessar pelo outro e se fechou no nosso mundo e nos nossos pré-julgamentos?

Eu penso muito nisso. Como tão facilmente julgamos o outro como legal, chato, nerd, divertido e mais adjetivos que encontramos. E assim definimos, antes até de conhecer a pessoa, quem é digno ou não da minha atenção.

Se é assim para conhecer alguém, como seria para se relacionar, se envolver de verdade? Realmente assusta. Ter alguém diferente de mim, diferente das minhas expectativas, assusta. Mas por que não transformar isso em interesse ao invés de repulsa?

Mas será que é só medo do diferente mesmo? Ou também tem o medo de não ser suficiente para alguém que é “demais” para mim?

Pensei nas histórias que já ouvi de “você é perfeita demais para mim”, “você é para casar e eu não sei se sou capaz”. Uma vez, uma amiga brincando me disse que sua inteligência e sucesso profissional eram inversamente proporcionais à possibilidade de encontrar alguém. Mesmo não sendo sempre assim, tem muita gente que se intimida com a desenvoltura, o sucesso, a vida do outro. Acha que não é capaz de ser o que a pessoa precisa.

mumford-sons-4e1192eca8916Eu estava ouvindo Mumford and sons – uma banda que eu simplesmente adoro – e pensei como eles são fantásticos! As letras das músicas são muito bem escritas e o arranjo musical é incrível. E achei que seria maravilhoso poder conhecê-los, conversar sobre a inspiração, a influência deles e sei lá mais o quê. Ai eu pensei: “nossa, mas quem sou eu para estar perto deles? Eles são demais!”

Realmente eles são ótimos músicos, eu os admiro muito. Mas isso não faz deles seres extraordinários, fora do comum, gente diferenciada. Eles têm talento. Mas são gente como a gente. E se houvesse essa oportunidade de encontrá-los tenho certeza de que seria fascinante. Porque assim como aprenderia bastante com eles, tenho certeza que eles também poderiam aprender comigo. Talvez não sobre música, mas sobre qualquer outra coisa.

Ninguém é maravilhoso em tudo, incrível em tudo. Somos muito bons em algo e em outras coisas nem tanto. Em outras nem sabemos por onde começar. E é por isso que precisamos uns dos outros. Porque o outro é um mundo que eu posso sempre desbravar e aprender mais. E é isso que nos faz crescer. Não é uma disputa onde é preciso estar à altura do oponente. É compartilhar, é viver junto, é trocar experiências.

Então por que ter medo? Por que alguém que faz algo que eu admiro me assusta e me afasta?

encontrando Acredito que perdemos de vista que estar com alguém, se envolver, amar, não depende de currículo. Nem é questão de capacidade. Querer estar com alguém depende somente da vontade. E a vontade que nasce no coração. E que é despertada pelo interesse, pela curiosidade em saber quem esse outro é. E dar tempo para que isso aconteça.

E que ao encontrar alguém que nos coloque de frente com o desconhecido, possamos dizer assim: eu estou disposta a conhecer o mundo pelos seus olhos. Posso te mostrar meu mundo também. Podemos ser ótimos guias um para o outro. Posso até merecer alguém melhor, mas escolho você.

3 ideias sobre “Demais para mim

  1. Karê, meus parabéns! Tu escreves muito bom! Adorei o texto! Vou começar a acompanhar “mais de pertinho” esses teus posts 😀

Os comentários estão fechados.