Preciso de alguém?

27 Flares Twitter 1 Facebook 26 Google+ 0 Email -- 27 Flares ×

Precisa-se-de-alguémConversando nessas últimas semanas sobre ser solteiro e procurar alguém, eu reparei que nós, muita vezes, mantemos vários discursos para mascarar o que sentimos. Às vezes para disfarçar o medo de parecer desesperada em encontrar alguém. Às vezes para parecer que na verdade eu nem queria ninguém mesmo. E algumas vezes até para tentar dizer a nós mesmos que não queremos ninguém, porque aí sim a pessoa poderá aparecer. Afinal, não é isso que todo mundo diz? Quando se para de procurar, alguém aparece.

Realmente esse é um ponto difícil. E eu fiquei pensando: será que eu realmente preciso ter alguém? Será que eu não vou conseguir viver se estiver solteira? Será que eu preciso de um homem que me ajude a tomar decisões? Ou que pague minhas contas? Ou que me faça feliz? Será que eu vou me sentir incompleta se não tiver alguém ao meu lado?

Pensando tudo isso realmente parece loucura achar que eu preciso de alguém. Eu me viro muito bem sozinha. Pago minhas contas – e faço minhas próprias dívidas também. Acho que sou uma ótima companhia para mim mesma. Não me sinto incompleta ou sozinha no momento.

Mas eu gostaria sim de ter alguém ao meu lado. E me veio a ideia de que admitir isso não me diminui ou me faça parecer muito “necessitada”. Mas, às vezes, sinto que falar isso soa como “coitada, ela está desesperada!” para os outros.

Acho que existe uma diferença muito grande entre querer ter alguém e precisar ter alguém. Realmente não me sinto necessitada. Creio que isso é que o que a maioria dos solteiros sente. A vida se completa do seu jeito, mesmo com alguns buracos que eventualmente todo mundo tem. Então, acho que não é “precisar” ter alguém.

Mas querer ter alguém por perto não significa a mesma coisa. Querer é ter vontade. Não falta nada, necessariamente, mas eu quero. Seria legal ter alguém. Poderia me fazer feliz ter alguém. Não quer dizer que isso é o único que quero, ou nem o que mais quero. Mas gostaria de ter. Não me faz menos ou mais.

E pensando nisso, percebi que tem gente que não precisa de ninguém, porém se coloca como necessitada. Mesmo sendo completa. Mesmo sendo só um desejo de ter alguém, age como se precisasse de alguém. E acho que a maior dificuldade aí é não se enxergar completa. É sempre sentir que está faltando algo.

fomeComer é uma necessidade do nosso corpo. Eu preciso comer de tempos em tempos e em quantidade suficiente. Isso é a necessidade, o que sustenta meu corpo. Mas eu posso querer bolo de chocolate, lasanha ou feijoada. Isso não é necessidade do meu corpo, é apenas um desejo meu. E é completamente legítimo e sem problema. Acho que o problema começa quando eu chamo de necessidade aquilo que é apenas um desejo. Eu preciso comer um pudim, senão eu não serei feliz. Não parece absurdo?

Mas é assim que muitas pessoas agem. Se eu não tiver alguém eu morro. Nunca serei feliz se fulano não ficar comigo. E vejo pessoas tristes porque estão sozinhas. Outras desesperadas para encontrar alguém.

Não sei se estou certa, mas minha reeducação alimentar começou no momento eu que defini o que era minha necessidade de comer do que era minha vontade de comer. Percebi que quando eu tenho necessidade de comer é a hora que eu como qualquer coisa, o que vejo na frente, porque preciso matar a fome. E quando é só vontade, eu posso escolher com mais tranquilidade, prestar mais atenção no que de verdade eu desejo e ser mais seletiva na escolha. Portanto, quanto menos tempo de necessidade meu corpo passar, mais seletiva e sábia nas minhas escolhas eu posso ser.

Acho que precisamos nos reeducar em nossos relacionamentos. Preencher meu tempo comigo mesma, com as pessoas que eu amo e que me amam também. Ter bons momentos, disfrutar deles e me permitir ser feliz nas pequenas coisas. E assim, eu terei menos “necessidade”. Estarei sempre completa. E assim, ter alguém ao meu lado vai ser um desejo, uma vontade. E por isso, poderei escolher mais sabiamente e com mais consciência das escolhas que faço.