Boa Noite

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

No segundo semestre do ano passado, eu fiz um mochilão durante um mês. Eu adoro viajar e apesar de ser meio chatinha com hotéis e banheiros, eu gosto muito dessa experiência de albergues e mochilas.

quarto hostelDepois de passar vários dias viajando e dormindo em lugares diferentes, e nem sempre agradáveis, eu me senti muito feliz de voltar à minha casa, ao meu banheiro e principalmente à minha cama. A gente aprende a valorizar o espaço que temos e sentimos falta de um monte de coisas que nem imaginamos. E o que eu mais senti falta – espero que minha família não veja isso – foi dos meus travesseiros. É muito ruim dormir com um travesseiro que não é o seu. E isso me fez desenvolver a “Teoria dos Travesseiros”. Parece coisa de quem não tem o que fazer, eu sei, mas vamos lá.

Existe travesseiro perfeito? Infelizmente não existe. E olha que eu já percorri muitos lugares e já testei vários e não consegui encontrar. Sempre falta uma coisinha. Podia ser mais baixo, mais alto, mais fofo, mais duro… uma infinidade de tipos. E só testando para saber. E eu sou dessas que coloca o travesseiro no balcão e encosta a cabeça para sentir se eu gosto antes de comprar. Não existe técnica perfeita para encontrar travesseiro. Cada um faz do seu jeito. Hoje tenho quatro na minha cama, escolhidos a dedo. E eles agora são perfeitos para mim. Temos um encaixe, um jeito de dormir que toda vez que eu viajo e tenho que usar outro, eu sofro um pouco para acostumar.

Aconteceu um caso engraçado uma vez. Eu ia viajar a trabalho para Belo Horizonte, ia ficar lá somente um dia e quando me preparava para viajar, uma colega me liga pedindo um favor inusitado. Ela e o marido tinham viajado de férias e fizeram uma parada em Belo Horizonte na volta para casa. Dormiram aí uma noite e seguiram viagem depois. E aconteceu que o marido dela esqueceu o travesseiro dele lá. Ela me explicou que ele tem um problema de saúde e que precisa do travesseiro exato para que consiga dormir. Falou que foi extremamente difícil encontrar esse que ele tinha. Eles tiveram que mandar trazer de um outro país. E que desde que haviam chegado em Brasília ele não conseguia dormir direito. Ela ligou no hotel em Belo Horizonte, localizou o travesseiro, mas precisava de alguém para trazê-lo de volta. E então ela me pediu isso. Me senti muito tocada com a necessidade deles e lá fui eu voltar com o travesseiro dele no avião para Brasília.

Apesar de ter parecido estranho o pedido, eu entendi perfeitamente. Ele precisa do travesseiro por recomendação médica. Mas eu, que nem problema tenho, levaria os meus todos na mala se fosse possível.cama

E eu pensei depois de tudo: isso é um relacionamento. Ou pelo menos a disposição para ele. Não vamos encontrar ninguém perfeito. Cada pessoa é de um tipo, com qualidades e defeitos nem maiores ou menores que os meus. Mas com características que eu preciso saber se estão dentro daquilo que quero ou não. E é exatamente por não existir ninguém perfeito que não podemos aceitar qualquer um só porque eu preciso ter alguém. É preciso escolher, averiguar, conhecer melhor. Assim como faríamos comprando um travesseiro. Não para encontrar o perfeito, mas para definir se ele atende aos requisitos que eu me coloquei. É claro que estou falando para quem quer encontrar um “travesseiro”.

Mas depois de escolhido e comprado, vamos nos adaptar ao travesseiro e ele a nós. E isso não vai acontecer na primeira noite de sono. O ajuste acontece naturalmente quando eu me dou tempo para adaptar. Não adianta cobrar demais de um travesseiro e querer que ele sozinho resolva todos os meus problemas de sono. Ele é só um travesseiro e não médico, massagista, terapeuta, chá doce sonhos, calmante…

E pode ser que você não se adapte. E tudo bem, vai ser necessário passar o travesseiro para frente. Ele só não é o seu encaixe. Com certeza ele vai se encaixar com outra pessoa. Assim como você. É só continuar testando que você vai encontrar, se estiver com disposição para isso.

E quando a gente encontra aquele que nos traz paz, descanso e uma bela noite de sono, fazemos de tudo para não o perder. Vamos em qualquer horizonte para busca-lo. Mandamos até buscar para nós. Porque assim como relacionamento amoroso, travesseiro é loteria, a chance de você encontrar exatamente o que você procurar e ele estar disponível para você é quase acertar na megasena acumulada.

dormindoNenhuma analogia é perfeita. Assim como comparar travesseiros a relacionamentos. Mas aqueles que buscam encontrar alguém ou quem já encontrou, sabem que aceitar a imperfeição é um grande passo no caminho. E precisam aceitar que a adaptação também faz parte desse caminho. E que sadio mesmo é aquilo que nos traz paz e nos faz melhor.

Entre sonos, amores e encaixe fiquemos sempre com aquele que nos deixe dormir em paz. E bons sonhos a todos!