Qual o seu ponto cego?

pontual Eu sempre achei que era importante respeitar o tempo do outro. Não fazer os outros esperarem é parte de demonstrar que você se importa, na minha opinião. E por conta disso sempre me achei a mais britânica do mundo. Não gosto de chegar nem antes nem depois, mas exatamente na hora. Isso meio que virou um ritual. Consultas, reuniões, salão de beleza e etc. Se percebia que não ia conseguir chegar já ligava ou mandava mensagem avisando. E foi uma vida inteira me achando a mais pontual das criaturas.

E acontecia que todas as vezes que ia marcar algo com os amigos, eu recebia aviso para não me atrasar. Ou recebia aquelas ironias de “nem adianta marcar essa hora já que você não vai chegar mesmo”. Aquilo me irritava profundamente. Leia mais

Esperar é saber

fila de espera Vou falar de um tema recorrente aqui no blog. Como sabem, aqui falo sobre aprendizados que tive, tenho ou preciso ter. Coisas que aprendo comigo mesma e com os outros. E sei que como todos estamos unidos nesse caminho que é a vida, as minhas reflexões podem ser as reflexões de muita gente. E por isso lá vem ela outra vez: a paciência. Eu já aceitei que sobre ela eu passarei a vida inteira aprendendo.

E mais uma vez eu dei uma pausa na minha ansiedade e pressa para pensar no que significa esperar. Ter paciência nos exige saber esperar. Não que toda espera nos faça pacientes, porque eu percebi que existem diversas maneiras de esperar. Basta olhar uma fila de atendimento de qualquer coisa e é possível perceber que o fato de ter que esperar não nos torna necessariamente pacientes. Leia mais

Boa Noite

No segundo semestre do ano passado, eu fiz um mochilão durante um mês. Eu adoro viajar e apesar de ser meio chatinha com hotéis e banheiros, eu gosto muito dessa experiência de albergues e mochilas.

quarto hostelDepois de passar vários dias viajando e dormindo em lugares diferentes, e nem sempre agradáveis, eu me senti muito feliz de voltar à minha casa, ao meu banheiro e principalmente à minha cama. A gente aprende a valorizar o espaço que temos e sentimos falta de um monte de coisas que nem imaginamos. E o que eu mais senti falta – espero que minha família não veja isso – foi dos meus travesseiros. É muito ruim dormir com um travesseiro que não é o seu. E isso me fez desenvolver a “Teoria dos Travesseiros”. Parece coisa de quem não tem o que fazer, eu sei, mas vamos lá. Leia mais

Quem dança seus desafios enfrenta

Esse final de semana eu sai com as amigas para um forró. Vinha de uma semana cheia de desafios e decisões necessárias e estava precisando extravasar. E dançar é uma das terapias que mais funciona comigo nesses momentos. Mas, como sempre, nas coisas mais banais a gente sempre pode tirar uma lição. ForróE a minha foi exatamente na dinâmica do forró. Você está ali, curtindo a música, mexendo os pés timidamente, e alguém vem e te tira para dançar. E cabe a você aceitar ou não. Mas vale dizer, que se estar na chuva é para se molhar, estar no forró geralmente é para dançar.

Para mim, dançar não é uma dificuldade. Eu sinto o ritmo e me deixo levar. O resto é resto. Mas percebo que para muitas pessoas é um grande desafio. Toda vez que eu saio para dançar com as amigas, escuto as mesmas histórias quando alguém as tiram para dançar. “Não, obrigada”. “Dança com ela ali, ela é profissional”. “Eu não sei dançar”. “Sempre erro tudo”. “Vou acabar pisando no seu pé”.

Eu acho graça. Leia mais

E vou vivendo

Faz tempo que não escrevo aqui no Blog. E sinto muita falta de escrever. Mas 2015 foi um ano bem diferente na minha vida. Não que eu estivesse muito atarefada e não pudesse escrever, mas aconteceram tantas coisas que eu precisei me retirar um pouco para respirar e pensar a respeito. A vontade de escrever estava lá, mas era tanto assunto que estava difícil organizar as ideias.Jornada

Eu vivo dizendo aqui no Blog que a vida é um eterno aprendizado. E é isso que faz a diferença, o quanto aprendemos de tudo que vivemos. E o quanto me disponho a aprender também, com tudo e com todos ao meu redor.

Eu li uma vez, já não lembro a fonte para falar a verdade, que a vida é cíclica Leia mais